Clínica de Medicina Endoscópica

Av. das Américas, 500 BL. 23 Sala 309
Shopping Downtown
Barra da Tijuca - Rio de Janeiro - RJ
Cep: 22640-100
Tels: (21) 3153-7990 3153-7719

Clique aqui e conheça a clinica >

Artigos ← Voltar para Artigos

» Por que é importante fazer o preventivo ginecológico





I. O que é?

Displasia leve ou NIC I : são alterações leves das células do colo do útero, de baixo grau. Também é indicado repetir o exame ou associar uma colposcopia, a critério de seu ginecologista.

Displasia moderada ou NIC II : nesse caso, as alterações celulares já são maiores. Ainda não é câncer, mas indica-se colposcopia ( ver o colo com lente de aumento) e, se necessário, biópsia.

3) Atenção!

Displasia acentuada ou NICIII: são alterações importantes das células que podem ser “início” de um câncer no colo. Nesse caso, a colposcopia com biópsia é obrigatória!

Ca in situ : câncer de colo uterino que ainda não invadiu os tecidos. Está indicada a colposcopia com biópsia e uma pequena cirurgia chamada “conização”.

VII. De quanto em quanto tempo o exame deve ser feito?

O exame de Papanicolau deve ser feito 1 vez por ano em pacientes com resultado normal. Os demais casos devem ser analisados individualmente por seu médico.

VIII. Conclusão:

Existem várias outras expressões que você pode encontrar no seu laudo. Procuramos citar os mais freqüentes e os mais importantes para que você possa compreender seu exame e discutí-lo com seu ginecologista.

Cada profissional tem sua conduta, mas algumas são consenso.

Não tenha vergonha de perguntar. O importante é não voltar para casa com dúvidas.

O exame “preventivo”, é aquele que toda mulher precisa, mas muitas desvalorizam ou não gostam de fazer.

Ele foi inventado, por volta de 1925, por um patologista dos EUA chamado Papanicolau. Mas só começou a ser usado na prática clínica quase 20 anos depois. O exame passou , então, a ser chamado pelo nome do seu criador, Papanicolaou.

Através desse exame, temos a possibilidade de detectar não só a presença do câncer de colo uterino, como também alterações das células que possam se transformar em câncer nos próximos anos. Com isso, temos a chance de fazer um tratamento com medicação adequada para evitar o aparecimento do câncer. Portanto, as mulheres que fazem regularmente esse exame, previnem verdadeiramente o câncer de colo uterino. Por essa razão, esse exame é também chamado de preventivo.

II. Como é feito?

O exame é extremamente fácil de ser feito. É importante a mulher ficar relaxada de maneira confortável, pois é muito rápido, durando poucos minutos. O relaxamento ajuda muito o médico a posicionar o espéculo (“bico-de-pato”) corretamente e colher o material da vagina.

O exame de Papanicolau é realizado durante o exame ginecológico. Com isso, colhe-se a secreção da vagina e da entrada do colo uterino com uma espátula (semelhante a um pauzinho de picolé). Com uma “escovinha”, colhe-se células do interior do canal do colo. Essas amostras serão fixadas em lâminas e colocadas em um frasco para ser enviado para o laboratório, onde será analisado por um médico patologista com auxilio de um microscópio.

A coleta do material é toda feita com instrumental descartável ou esterilizado, para evitar a contaminação. É um procedimento muito simples, que deve ser realizado em todas as mulheres, principalmente nas mulheres com vida sexual ativa.

III. Corrimento.

O principal objetivo do preventivo é detectar precocemente o câncer de colo. Mas o exame de Papanicolau também detecta infecções por bactérias e fungos que é melhor estudado pelo exame de cultura da secreção vaginal.

IV. Virgindade: 

Mulheres que nunca tiveram relação sexual podem fazer o exame. Existem espéculos especiais para virgens, que não causam ruptura do hímen. 

V. Preparação para o exame: 

Aconselha-se que a paciente não tenha relações sexuais nas 48h antes do exame, nem com uso de preservativo, para evitar uma alteração na análise do exame.

Também deve-se evitar duchas e cremes vaginais e ultra-sonografia transvaginal no mesmo período. 

VI. Entendendo o laudo ( termos mais importantes) : 

Como o laudo deve ser interpretado:

1) Pode ficar tranqüila! 

Inflamatório: a maioria dos preventivos costuma apresentar essa alteração. Calma! Apesar do nome assustar, não quer dizer que você está doente. Infecções, traumas( relação sexual também causam trauma) na vagina podem causar processo inflamatório. Essa é uma alteração benigna e pode ser leve, moderada ou acentuada.

Flora( bacilos) de Doederlein ou Lactobacilos : São as defesas vaginais. Fazem parte da flora vaginal normal que protegem contra outros germes agressores.

Cândida sp., florabacteriaana mista, Gardnerella, Trichomonas : Esses são os agressores. Existem outros, mas esses são os mais freqüentemente encontrados.

Metaplasia: significa que, se houve uma lesão no colo do útero, ela já está se regenerando.

2) Sinal Amarelo:

ASCUS / AGUS: são siglas que indicam ao médico que o exame deve ser repetido ou complementado. São células de significado incerto.replica watches uk, rolex replica watches

Alterações compatíveis com HPV: O patologista encontrou células indicativas de que o vírus HPV “andou” por lá. Esse vírus pode causar câncer de colo de útero. Não quer dizer que você esteja com câncer. Há subtipos do HPV que alteram as células, mas não causam câncer. Nesse caso, é aconselhável repetir o exame ou realizar uma colposcopia, a critério do seu médico.
Dra. Laura Almeida
www.mulhersaude.com.br
faleconosco@mulhersaude.com.br
Tel.: (21) 3153-7990